revista escrita da história

Pós-11 de Setembro: críticas ao imperialismo nas páginas do Le Monde Diplomatique

Por Juliana Sayuri Ogassawara
* Revista Escrita da História

Resumo
Este artigo aborda as questões geopolíticas presentes na crítica de Le Monde Diplomatique relacionada ao 11 de Setembro. Fundado em 1954, em Paris, por Hubert Beuve-Méry, Le Monde Diplomatique teve suas páginas e suas ideias alastradas por diversos países – em fevereiro de 2013, o magazine contava 47 edições internacionais (39 versões impressas e 8 estritamente eletrônicas), considerado um fenômeno único na imprensa internacional. Ao longo de sua trajetória, principalmente a partir da direção de Claude Julien, entre 1973 e 1990, Le Monde Diplomatique teve sua linha editorial historicamente marcada por diretrizes politizadas, declaradamente antiimperialistas e antineoliberais. Ancorado na história dos intelectuais, na história política e na história do tempo presente, este artigo pretende analisar as críticas destinadas ao imperialismo nas edições de Le Monde Diplomatique.

Palavras-chave
Le Monde Diplomatique. Imprensa. Intelectuais. Imperialismo.

A

Unsplash

Comments:

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s