revista temporalidades

O papel dos intelectuais no Le Monde Diplomatique

Por Juliana Sayuri Ogassawara
*
Revista Temporalidades – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (FAFICH-UFMG)

Resumo
Este artigo pretende expor uma análise sobre o papel dos intelectuais segundo a visão dos intelectuais imbricados nas edições latino-americanas e na edição francesa do periódico internacional Le Monde Diplomatique. Fundado em maio de 1954, em Paris, Le Monde Diplomatique viu suas páginas e suas ideias se alastrarem mundo afora – em 2013, o magazine tinha 47 edições internacionais. Ao longo de sua trajetória, principalmente nas passagens do jornalista francês Claude Julien (entre 1973 e 1990) e do sociólogo espanhol Ignacio Ramonet (entre 1990 e 2008) como diretores, Le Monde Diplomatique teve sua linha editorial marcada por diretrizes politizadas, declaradamente antiimperialistas e antineoliberais. O artigo foca a versão publicada em Buenos Aires, considerada a principal edição latino-americana, fundada por iniciativa do argentino Carlos Gabetta, diretor de Le Monde Diplomatique Edición Cono Sur entre 1999 e 2011.

Palavras-chave
Le Monde Diplomatique; Intelectuais; Imprensa.

A

Unsplash

Comments:

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s